Nossa Senhora de Fátima, 3000 - 1º Andar - Setor A, Sala 8 - Vila Israel - Americana / CEP 13478-540

contato@accamposcomex.com

(19) 3601-0217

[Espanhol]
[Inglês]
[Português]

Cinco mitos do comércio internacional

30 de janeiro de 2019 Sem categoria

Alguns mitos relacionados ao comércio internacional podem desencorajar empresas que estejam planejando entrar no mercado de importação e exportação. Mas acreditar logo de cara nestas informações, sem o devido aprofundamento, pode fazer o empreendedor perder boas chances de negócios. O comércio exterior pode trazer oportunidades para empresas grandes e pequenas dos mais variados setores, desde que o planejamento e as avaliações de custos e riscos sejam feitas da forma correta.

Confira alguns mitos comuns sobre o comércio internacional e tenha um novo olhar sobre os negócios da sua empresa.

1. Comércio internacional é só para os grandes

Micro, pequenas e médias empresas podem importar e exportar. Para fazer operações no exterior é necessário fazer os registros exigidos no Radar e no Siscomex. Se a empresa não tiver recursos ou equipe para atuar nesse setor, pode terceirizar todo o processo com uma trading ou contratar uma assessoria especializada em comércio exterior que pode fazer o networking com fornecedores, a parte logística e cuidar de toda a documentação para seu cliente.

2. Não compensa importar

Basta olhar uma etiqueta de qualquer produto para ter uma ideia da variedade de artigos importados comercializados no Brasil. Se os outros importam, por que sua empresa não pode? Seja uma operação B2B ou B2C o custo da importação pode ser bem atraente, mesmo não embarcando um contêiner cheio. Afinal, há muitas tradings que podem reunir lotes de vários fornecedores e fazer um só processo de importação, reduzindo os custos.

3. Eu não preciso do comércio internacional

Importar ou exportar pode trazer segurança e flexibilidade para o negócio. Imagine que sua empresa vende um produto sazonal, que tenha muito apelo no verão? O período de vendas é prolongado aproveitando o verão de outros países. Além disso, se o mercado brasileiro apresentar queda no consumo, a venda para o exterior pode ser um porto seguro até a situação melhorar.

4. Vender para o exterior é complicado

Antes de vender para o exterior, o primeiro passo é a empresa ser consolidada no Brasil e ter seus produtos ou serviços com presença forte no mercado interno. As exigências do mercado externo, de fato, podem assustar as indústrias iniciantes, que precisam cumprir procedimentos fitossanitários, qualidade, procedência, etc. Uma vez cumpridas estas etapas, a empresa estará na rota para exportar.

Mas o ambiente é favorável. O Brasil possui órgãos que fomentam o comércio internacional, como a APEX. A agência promove o acesso das empresas ao capital necessário para exportar. Também há programas do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços que auxiliam na qualificação dos empresários, acesso a rodadas de negócios, missões empresariais, entre outros.

5. Importar reduz empregos do Brasil

Hoje o mercado é global e as mercadorias estão circulando rapidamente entre os cinco continentes. A exploração de novos mercados é uma grande oportunidade para aumentar o volume de negócios, crescer economicamente e gerar postos de trabalho e renda.

Esses mitos podem estar impedindo milhares de empresas de prospectar novas oportunidades e crescer. Quer receber mais detalhes sobre o funcionamento dos mercados no exterior? Entre em contato com a AC Campos e receba todas as informações.

 

 

Compartilhe